terça-feira, outubro 18

INDIANA LOUCO


Nesta quarta-feira, dia dezenove do mês de outubro do ano de Nosso Senhor de 2011, saudações do Louco, seres humanos leitores! E sim, pra vocês também, entidades não-humanas que, não obstante, gostem de ler ^^

(tá, tudo bem, pra qualquer um que estiver lendo, e agora chega; se ficar me ocupando de toda possibilidade, não vou começar o post nunca!)

Estava agorinha mesmo lembrando do tempo que já fazia - mais de uma semana - sem vir postar e pensando no que podia ser o assunto da vez quando lembrei de algo que mencionei numa das apresentações do Oito Caminhos; trago à baila, então, Admirável Mundo Velho.

Toda história criada por qualquer um tem elementos básicos; cenário, personagens principais, heróis e vilões, motivos... De 'baseado na vida real' até 'delírio de bêbado', qualquer história que se preze precisa de um enredo. Tá, eu acredito na capacidade de autores de bolar qualquer coisa, então pode ser que até tenha uma que não, mas vamos pegar a regra geral, pra não perder o fio da meada. Se você é como eu e segue o impulso de escrever porque sim, os primeiros eventos aparecem muito antes de se saber por que ou como (entre outras coisas, isso explica porque Jérsen Alkan não tinha nome até o nono ou décimo capítulo em Oito Caminhos; eu queria contar história, não pensar em nome!). E ainda acho essa a forma mais interessante de começar.

A longo prazo, porém, acho difícil que autores e autoras não pensem numa estrutura, uma 'base' de onde a história principal precisa vir. Hora de avançar pro passado!

Não importa se sua história é novela, conto de terror, fantasia, ficção científica ou o que for, seus personagens não brotaram ali do nada. Tá, brotaram, ao menos na sua mente... mas na vida deles, eles 'precisam' ter um fundo histórico. E o mesmo vale pro mundo, pra realidade em que eles estão. Já parou pra pensar como pode ser divertido, e empolgante, criar esse novo mundo?

Na história da minha querida Christabel (postada por completo em http://dkqueenchristabel.blogspot.com/; recomendo clicar nos 'archives', e rolar pra baixo. Como este blog aqui, os posts mais antigos vão descendo e ficam no rodapé da página), o ambiente era o nosso mundo, depois que a civilização atual tivesse sido substituída por uma em que utensílios que funcionassem à eletricidade tinham sido substituídos por motores e geradores a vapor, por um motivo que consta na história. Oito Caminhos tem toda uma civilização anterior, com seus tiranos e heróis. E acho que a graça da coisa tá aí. Pense em como o mundo era antes da época da sua história. O que rolava? Por que ficou diferente? Tem alguém que seja descendente direto das pessoas de lá? Ou, melhor ainda, tem alguém que 'viveu' naquele período?? Os livros de Anne Rice (a 'Tia Arroz' da Urd ^^) trazem vampiros melancólicos da origem do tempo, e eles viram os grandes períodos históricos como personagens, não espectadores.

Isso dá muita riqueza à história que é contada, porque ela tem um 'passado'. Veio de algum lugar. Logo, deve 'ir' a algum lugar também.

E sabe o que é mais divertido? Você cria o passado. Prédios, montanhas, lagos, oceanos... você decide onde 'tudo' vai estar, e onde estava antes!!! Com medo de me achar, e já me achando, você vira 'Deus' na sua história! Tá, todo autor é potencialmente 'Deus', mas você já tinha se dado conta da 'profundidade' desse pensamento? Mover, criar e apagar rios, mares, montanhas... tudo?

Uma boa história, como eu entendo, tem que poder divertir qualquer leitor. Mas uma história boa 'de verdade', a meu ver, precisa divertir antes de mais nada o primeiríssimo leitor: seu próprio criador. Se você não curte o que tá escrevendo, e se a luta constante pra criar ou reformar a idéia não são divertidos, então ou você não é um autor de verdade, ou tá fazendo algo errado. Algo seriamente errado.

Forte amplexo do Louco, no passado, presente e futuro! ^_^

2 comentários:

Vivi disse...

Nossa eu sumi! Tenho tanta coisa pra te contar! Se niver tá chegando também! Espero que de tempo de responder o email até lá.

bjon da nee-chan com saudades

Louco disse...

Hahahaha, somos dois, nee-chan ^^ Otouto tbm com saudades, e ainda enrolado. Se pá, vou te mandar o e-mail e logo em seguida o capítulo novo do Darris; tá por pouco, mas acho que não termino antes de acabar o e-mail.

Tô curioso, quero saber das novidades ^^ Bjon do otouto!